InícioGestão de DespesasPlanejamento financeiro empresarial: guia completo para 2023

Planejamento financeiro empresarial: guia completo para 2023

O planejamento financeiro empresarial é uma técnica de gestão que ajuda a empresa a estabelecer metas financeiras, controlar os gastos e buscar a lucratividade do negócio. Ele também permite a tomada de decisões estratégicas para que a empresa cresça de forma sustentável. 

Se você é um pequeno empresário, sabe que manter as finanças da sua empresa em dia é fundamental para o sucesso do negócio. E é justamente para ajudá-lo nessa tarefa que criamos este conteúdo.

Ao longo deste texto, vamos falar sobre o que é o planejamento financeiro empresarial, quais os tipos existentes, como fazer um planejamento financeiro organizacional e ainda vamos compartilhar algumas dicas valiosas para organizar as finanças da sua empresa. 

Neste post você vai entender:

  • O que é planejamento financeiro empresarial
  • Quais os tipos de planejamento financeiro empresarial
  • O que compõe um planejamento financeiro empresarial
  • Qual a importância do planejamento financeiro para empresas pequenas e médias?
  • 6 etapas para um planejamento financeiro empresarial
  • Quais erros evitar ao fazer um planejamento empresarial?
  • 5 dicas para organizar as finanças da sua empresa
  • Planilha gratuita para o planejamento financeiro da sua empresa em 2023
  • Conclusão

Boa leitura!

O que é planejamento financeiro empresarial

O planejamento financeiro empresarial é uma ferramenta de gestão que permite o crescimento do seu negócio. Ele é responsável por estabelecer as metas financeiras da empresa, controlar as despesas e garantir o lucro.

O planejamento financeiro empresarial é importante porque ajuda a empresa a se organizar, a controlar os gastos e a tomar decisões estratégicas. 

Além disso, ele também permite que a empresa se planeje para o futuro, identificando possíveis problemas e encontrando soluções para eles.

Quais os tipos de planejamento financeiro empresarial

Existem dois tipos de planejamento financeiro empresarial: o de curto prazo e o de longo prazo.

Planejamento financeiro de curto prazo

O planejamento financeiro de curto prazo é responsável por estabelecer as metas financeiras para um período de tempo menor, normalmente de até 12 meses. 

Ele é importante para ajudar a empresa a manter o controle financeiro do dia a dia e garantir o alinhamento com as suas metas financeiras.

Este tipo de planejamento envolve a análise de receitas e despesas da empresa, a identificação de possíveis problemas e a criação de soluções para eles. 

Criar um orçamento anual e acompanhar de perto os resultados é o primeiro passo para evitar uma surpresa desagradável e manter a saúde financeira do negócio.

Planejamento financeiro de longo prazo

O planejamento financeiro de longo prazo tem como objetivo estabelecer metas financeiras e garantir o crescimento e sucesso da empresa

Alguns exemplos de metas financeiras a longo prazo incluem a aquisição de novos clientes, aumentar a lucratividade do negócio, aumentar a visibilidade da empresa, adquirir equipamentos ou veículos, entre outros. 

Enquanto o planejamento financeiro de curto prazo se concentra em metas financeiras imediatas e tem como objetivo garantir a sobrevivência do negócio, o planejamento financeiro de longo prazo olha para o futuro e busca a expansão ou consolidação da empresa.

O que compõe um planejamento financeiro empresarial

O planejamento financeiro empresarial é composto por diversos elementos que são importantes para garantir o sucesso do negócio. Alguns dos principais componentes do planejamento financeiro empresarial incluem:

  • Documentos: é importante manter todos os documentos financeiros da empresa organizados e atualizados, como balanços, demonstrações financeiras e faturamento;
  • Sistemas: a utilização de sistemas de gestão pode ajudar a empresa a controlar as finanças de forma mais eficiente e ter acesso a relatórios e dados em tempo real;
  • Pessoas: é importante contar com profissionais experientes e capacitados para auxiliar no planejamento financeiro da empresa, como contadores e analistas financeiros;
  • Processos: o planejamento financeiro empresarial pode ser dividido em diversas fases, como a definição de metas financeiras, a coleta de informações de receita e despesas, a análise dos dados e a implementação do plano de ação. Um processo claro e bem definido é fundamental para que o gestor não perca nenhuma informação relevante.

Leia também: 5 dicas de gestão para pequenas e médias empresas

Qual a importância do planejamento financeiro para empresas pequenas e médias?

Ao atrair e fidelizar clientes e fortalecer a marca, as empresas buscam se estabelecer no mercado, mas esses esforços podem ser comprometidos se não houver uma sólida estratégia financeira em vigor.

Muitos empreendedores, ao abrir seus negócios, tendem a focar exclusivamente em atividades de marketing e vendas, negligenciando a gestão financeira. A falta de planejamento financeiro significa não monitorar as entradas e saídas do caixa, não considerar o capital de giro necessário para operações e, em alguns casos, desconhecer os próprios custos e despesas mensais.

O planejamento financeiro empresarial é essencial para garantir a estabilidade do negócio, permitindo que a empresa tome decisões estratégicas baseadas em informações sólidas e bem fundamentadas. 

6 etapas para um planejamento financeiro empresarial

6 etapas para um planejamento financeiro empresarial

Agora que já sabemos o que compõe um planejamento financeiro empresarial, vamos falar sobre as 6 etapas que você deve seguir para para começar a planejar o orçamento da sua empresa da forma correta:

1. Defina as metas financeiras da sua empresa

Definir as metas da sua empresa é crucial para o sucesso do planejamento financeiro empresarial. Esta etapa envolve estabelecer os objetivos da empresa, como aumentar o lucro, reduzir os custos ou investir em novos projetos.

Para estabelecer as metas financeiras da sua empresa é importante fazer uma análise do mercado, da concorrência, das necessidades do negócio e das suas expectativas como empresário ou gestor. 

Além disso, é preciso levar em consideração a realidade financeira atual da empresa e o que é viável alcançar no período estabelecido.

Algumas ferramentas que podem ser utilizadas nesta etapa incluem o plano de negócios, a análise de viabilidade financeira e o orçamento da empresa.

É importante lembrar que as metas financeiras devem ser mensuráveis, alcançáveis, relevantes e temporais (SMART). Isso garante que elas sejam específicas, realistas e possam ser monitoradas para avaliar o progresso da empresa em relação a elas.

2. Colete as informações de receita e despesas

A coleta de informações sobre as receitas e despesas da empresa é uma etapa fundamental do planejamento financeiro empresarial. Ela permite que a empresa tenha uma visão clara de suas finanças e possa tomar decisões informadas sobre o seu futuro.

Para pequenas empresas, é comum encontrar um desafio neste levantamento: muitas vezes, despesas pessoais e empresariais são misturadas, o que dificulta a análise sobre a saúde do negócio. 

O mesmo vale para receitas: o ideal é você ter um valor fixo de retirada mensal, como um salário, para garantir um fluxo de caixa que permita a sobrevivência do seu negócio.

Leia também: Passo a passo para separar custos pessoais e empresariais

Para coletar essas informações, é importante identificar quanto a empresa está recebendo de vendas. Isso pode ser feito a partir de documentos como notas fiscais, faturas e recibos. 

Além disso, é preciso identificar as despesas fixas e variáveis da empresa, ou seja, aquelas que são constantes e aquelas que podem variar de um período para outro. 

Alguns exemplos de despesas fixas incluem aluguel, salários e contas de luz. Já as despesas variáveis podem incluir compras de insumos, transporte e marketing

Por fim, é importante identificar quanto a empresa está investindo em novos projetos, como a expansão do negócio para novos mercados ou a aquisição de novas máquinas.

Para coletar essas informações, é possível utilizar documentos como o balanço patrimonial ou a demonstração de resultado do exercício (DRE), que mostra o lucro ou prejuízo da empresa em um determinado período. 

O orçamento da empresa também pode ser uma ferramenta útil para coletar informações sobre as receitas e despesas da empresa – além de manter o controle do que foi previamente planejado.

3. Analise os dados para saber se sua empresa está tendo lucro ou prejuízo

A terceira etapa do planejamento financeiro empresarial é a análise dos dados coletados sobre as receitas e despesas da empresa. 

Essa etapa é fundamental para saber se a empresa está tendo lucro ou prejuízo e, assim, poder tomar decisões estratégicas para garantir o sucesso e o crescimento do negócio. 

Essa análise pode ser realizada por meio de indicadores financeiros, como o lucro bruto, o lucro líquido e a margem de lucro. Além da análise dos indicadores financeiros, também é importante realizar uma análise qualitativa dos dados. 

Isso envolve avaliar o desempenho da empresa em relação às suas metas e objetivos, bem como aos resultados de períodos anteriores. 

A análise dos dados coletados sobre as receitas e despesas da empresa é uma etapa fundamental do planejamento financeiro empresarial, pois permite que a empresa tenha uma visão clara de suas finanças e possa tomar decisões assertivas para o seu futuro. 

4. Desenvolva um plano de ação para controle de despesas

O plano de ação deve estabelecer metas claras para a redução de gastos e deve incluir ações concretas para alcançar os objetivos. Algumas dicas para o controle de despesas incluem:

  • Identificar despesas desnecessárias: é importante avaliar todas as despesas da empresa e identificar aquelas que podem ser eliminadas. Isso pode incluir despesas com produtos ou serviços que não são utilizados com frequência ou que podem ser substituídos por alternativas mais baratas;
  • Negociar preços: é importante negociar preços com fornecedores e prestadores de serviços para garantir o melhor custo-benefício para a empresa. Isso pode incluir a negociação de descontos por pagamentos antecipados ou por compras em grande quantidade;
  • Criar um sistema de controle de gastos: É importante criar um sistema de controle de gastos que permita acompanhar as despesas da empresa de forma detalhada. Esse sistema pode incluir planilhas de controle ou mesmo um software de gestão financeira;
  • Treinar funcionários: é importante que todos os funcionários da empresa estejam conscientes da importância do controle de despesas e saibam como agir para contribuir para a redução de gastos. Para isso, é importante realizar treinamentos e criar uma cultura de economia na empresa.

5. Implemente o seu planejamento financeiro organizacional

A implementação do planejamento financeiro organizacional deve ser realizada pela liderança da empresa, com a participação de todos os funcionários. É importante que todos estejam cientes das metas financeiras estabelecidas e saibam como contribuir para alcançá-las.

Para implementar o planejamento financeiro organizacional, é preciso colocar em prática todas as ações estabelecidas no plano de ação. 

Isso pode incluir ações como a revisão dos processos internos para reduzir custos, a renegociação de contratos com fornecedores, a implementação de um sistema de gestão financeira ou a contratação de uma equipe financeira especializada.

Além disso, é importante criar mecanismos de controle para garantir que as metas financeiras estabelecidas estejam sendo cumpridas. Isso pode ser feito através da criação de indicadores financeiros, como o retorno sobre investimento (ROI), o índice de liquidez e o índice de rentabilidade.

6. Monitore os resultados para a tomada de decisões

O monitoramento dos resultados é fundamental para a tomada de decisões e para garantir o sucesso do negócio. Ele envolve acompanhar os resultados financeiros da empresa e compará-los com as metas estabelecidas no planejamento financeiro. 

Se a empresa não estiver alcançando as metas, é preciso fazer ajustes no planejamento ou na execução das ações para garantir o sucesso do negócio.

O monitoramento dos resultados pode ser feito de diversas maneiras, como acompanhar os

indicadores financeiros mencionados anteriormente, revisar os relatórios financeiros da empresa ou realizar reuniões periódicas para avaliar o andamento do planejamento financeiro.

Para fazer o monitoramento dos resultados, é importante ter uma planilha de acompanhamento ou um sistema de gestão que permita acessar os dados de forma rápida e precisa. 

Defina uma periodicidade para o monitoramento, seja semanal, mensal ou trimestral, de acordo com as necessidades da empresa.

Quais erros evitar ao fazer um planejamento empresarial?

Um dos principais erros é negligenciar a coleta e análise de dados precisos sobre as finanças da empresa. Sem informações detalhadas e atualizadas, fica difícil tomar decisões estratégicas embasadas em fatos concretos.

Outro erro é estabelecer metas financeiras irreais ou pouco fundamentadas. Definir objetivos inalcançáveis pode levar a frustrações e desmotivação da equipe, além de prejudicar a credibilidade do planejamento.

Além disso, outro erro a ser evitado é não revisar e atualizar regularmente o planejamento financeiro. É fundamental revisitar o plano regularmente, adaptando-o conforme necessário para garantir que ele permaneça relevante e eficiente. 

Misturar gastos empresariais e pessoais

Misturar gastos empresariais e pessoais é um erro financeiro grave que pode ter consequências desastrosas para um negócio. Quando as contas pessoais são mescladas com as da empresa, torna-se difícil acompanhar e controlar as finanças de forma adequada

Essa falta de clareza financeira impede que setenha uma visão precisa sobre a saúde financeira da empresa, tornando difícil determinar se o negócio está lucrando ou tendo prejuízo. 

Não realizar fluxo de caixa

O fluxo de caixa descreve e registra todas as entradas e saídas de dinheiro, permitindo uma visão clara e atualizada das movimentações financeiras.

A falta de um fluxo de caixa adequado pode levar a problemas de gestão de caixa, dificuldades para pagar fornecedores, atrasos no pagamento de contas e até mesmo a incapacidade de honrar compromissos financeiros.

Leia também: 7 dicas para uma gestão financeira eficiente

Não ter controle de estoque

O acompanhamento adequado do estoque é essencial para garantir que a empresa tenha controle sobre as entradas e saídas de produtos.

Sem esse controle, a empresa fica vulnerável a uma série de desafios, como a falta de produtos em momentos cruciais, o excesso de estoque que pode levar a custos desnecessários de armazenagem, obsolescência de produtos e até mesmo perdas financeiras significativas.

Precificar errado

A precificação adequada de um produto é fundamental para garantir que todos os custos operacionais sejam cobertos e que haja margem de lucro no final.

Colocar um preço sem considerar adequadamente os custos de produção, marketing, logística e demais despesas pode levar a vendas insuficientes para sustentar o negócio, resultando em prejuízos e, eventualmente, até mesmo na falência.

Não controlar as operações

Sem um controle efetivo, a empresa fica vulnerável a problemas como desperdício de recursos, atrasos nas entregas, gastos excessivos e dificuldades na gestão do estoque. 

Além disso, a falta de controle das operações também prejudica a capacidade da empresa de fazer projeções e planos futuros. Sem dados precisos e atualizados sobre as operações, é difícil para a empresa prever demandas futuras, identificar tendências de mercado e traçar estratégias de crescimento. 

5 dicas para organizar as finanças da sua empresa

5 dicas para fazer um planejamento financeiro empresarial

O planejamento financeiro empresarial é importante para garantir que nada saia de controle no próximo ano, que todas as metas sejam alcançadas e que sua empresa só cresça. Certo, isso você já sabe!

Mas muito além dos proveitos financeiros, um bom planejamento proporciona tranquilidade para todos os envolvidos. E essa tranquilidade faz com que todo mundo tenha mais tempo para dedicar a outras atividades importantes para a empresa crescer. 

Agora que você ficou ainda mais engajado em desenvolver o planejamento financeiro empresarial para o próximo ano, vamos ao guia que ajudar você nessa tarefa!

1. Analise o cenário financeiro atual da empresa

O primeiro passo para criar um bom planejamento financeiro empresarial é reconhecer o real cenário da sua empresa. É o exercício de apontar pontos positivos e negativos, considerando fatores, como:

  • o tempo que seu negócio está no mercado;
  • a segmentação e o público-alvo;
  • como está o relacionamento com clientes e a prospecção de novos clientes;
  • quais os canais ativos de comunicação;
  • qual o lucro estimado para o ano e o que foi realmente alcançado;
  • quais metas foram batidas e quais ficaram em aberto;
  • o que aconteceu ou foi feito e pode ter impactado o financeiro durante o ano;
  • entre outros.

Nesse momento, diversos fatores podem ser usados para mapear o cenário atual da empresa. O importante é pensar em tudo o que for importante para definir o rumo a ser tomado no planejamento.

É interessante, também, realizar esse processo com mais pessoas da equipe ou com as principais envolvidas na gestão. Opiniões diferentes sobre o cenário da empresa são essenciais para evitar que apenas pontos positivos sejam evidenciados, considerando que os negativos são ainda mais importantes para garantir melhorias no futuro.

Considere possíveis cenários para o futuro

Se o cenário atual da empresa é importante para guiar os próximos passos, prever o futuro ajuda na preparação para possíveis acontecimentos que possam pôr à prova todo o planejamento financeiro empresarial. 

Por isso, você e seus colaboradores também precisam considerar:

  • análise SWOT;
  • despesas fixas e variáveis;
  • fundos de segurança para situações emergenciais;
  • estruturas de gastos da empresa;
  • processos que deram errado no último ano;
  • contratações e demissões;
  • aumento ou perda de demandas;
  • entre outros.

Documente o máximo de informações possíveis

O mapeamento do cenário da empresa deve ser documentado, para que todos tenham o histórico do que foi apontado. Salvar as informações também ajuda nos próximos passos do planejamento, já que evita que qualquer fator seja esquecido e deixado de fora.

2. Faça o plano de ação do ano

Com o cenário em mente, fica muito mais fácil desenvolver um plano de ação para ser realizado a curto e longo prazo. 

Para relembrar: quando falamos de ações a longo prazo, nos referimos a objetivos e metas que estão relacionadas às aspirações de onde queremos chegar. As ações de curto prazo devem ser aquelas que serão postas em prática nos próximos meses. 

Então, para montar esse plano de ação, é preciso:

  • definir os objetivos do ano e as metas de cada um dos meses;
  • mapear todas as ações que serão necessárias para alcançar as metas;
  • propor somente aquilo que é viável de realizar, desconsiderando o “cenário ideal” e valorizando o cenário real;
  • distribuir as tarefas por competência e comprometimento de cada pessoa da equipe;
  • deixar agendadas as reuniões frequentes para revisar as metas;
  • documentar todo o plano de ação;
  • manter uma documentação das ações realizadas ao longo do tempo.

3. Registre todos os custos que são recorrentes

É preciso conhecer todos os custos da sua empresa, seja com a estrutura ou com o próprio produto ou serviço. Quanto custa para produzir algo ou oferecer um serviço, considerando todo o valor investido nas pessoas, na estrutura, nos materiais e terceirizados, entre outros processos envolvidos?

Você precisa ter esses valores definidos e documentados: somente assim é garantido que as precificações estão corretas. Além disso, elas precisam estar corretas para garantir que o planejamento financeiro empresarial siga sem equívocos e prejuízos.

4. Acompanhe todas as movimentações financeiras

Muitas ferramentas ajudam a ter o controle da movimentação financeira da sua empresa, abrangendo detalhes como fluxo de caixa, balanço patrimonial, emissões de notas fiscais, DRE, controle por setor, ROI, entre outras.

Em resumo, use de todas as ferramentas necessárias para ver com clareza como os recursos do seu negócio estão sendo administrados e olhe com frequência os relatórios de desempenho (eles ajudam muito na tomada de decisões).

5. Use a tecnologia a seu favor

Manter o controle de tudo demanda um tempo considerável de todos os gestores da empresa. Alguns dados, por exemplo, são muito densos para mapear sem a ajuda de softwares automatizados

Relatórios são criados em menos tempo e com mais credibilidade com a ajuda de ferramentas para isso. Além disso, o próprio fluxo financeiro como um todo pode ser otimizado com a automação.

Por isso, considere incluir em seu planejamento financeiro empresarial a adoção de recursos que facilitem os processos ao longo do ano. Algumas sugestões:

Plataformas de gestão

Há plataformas dedicadas a todo tipo de gestão. Dependendo do tamanho da sua empresa e de quantos setores ela possui, você deve decidir o que vale a pena, considerando quais equipes possuem mais processos e envolvimento com a gestão financeira.

Alguns exemplos:

  • Plataformas de gestão para controle financeiro, como fluxo de caixa, relatórios, funil de vendas, orçamentos, emissão de boletos e notas fiscais, entre outras necessidades financeiras que ficam concentradas em uma única base;
  • Softwares de gestão de marketing, geralmente, possuem recursos para o controle de verba envolvida no setor;
  • Sistemas para controle de gestão de frotas, que integram o pagamento de combustível, manutenção e outros serviços veiculares para frotas ou como ajuda de custo para os colaboradores. Através disso, é possível acompanhar indicadores e analisar relatórios referentes à questão financeira e ainda ter total controle deste custo.

Ferramentas de organização

Ao longo do ano, use mais ferramentas que possam ajudar você e sua equipe a manter os processos organizados e a documentar todas as informações importantes do financeiro. Muitos recursos são gratuitos, porém indispensáveis, como as ferramentas do Google Drive: planilhas, documentos, agenda, entre outros.

Planilha gratuita para o planejamento financeiro da sua empresa em 2023

Se você quer começar o ano de 2023 com o pé direito e garantir o sucesso do seu negócio, não pode deixar de baixar a nossa planilha gratuita de planejamento financeiro empresarial

Ela foi criada para ajudá-lo a controlar as finanças da sua empresa de maneira eficiente e alcançar as metas estabelecidas. Baixe agora e comece a planejar o futuro do seu negócio!

Para empresas que precisam controlar despesas com abastecimento e gestão de frotas, a Edenred Mobilidade é a melhor escolha. 

Com as soluções de abastecimento da empresa, voltadas para todos os tipos de negócio e tamanhos de frotas, é possível fazer a gestão dos seus veículos, separar os gastos da empresa dos seus gastos pessoais, extrair dados dos condutores, efetuar análises de desempenho e muito mais! 

Conclusão

O planejamento financeiro empresarial é uma ferramenta de gestão fundamental para o crescimento e sucesso do seu negócio. Ele permite que a empresa estabeleça metas financeiras a longo prazo, identifique possíveis problemas e crie soluções para eles, além de ajudar a tomar decisões estratégicas.

Realizar um planejamento financeiro pode ser um desafio, mas com a aplicação das etapas e dicas compartilhadas neste post, é possível ter um planejamento organizado e eficiente para o seu negócio

Se você gostou deste post, não deixe de compartilhá-lo nas suas redes sociais para ajudar outros empreendedores a organizar as finanças de seus negócios. Até a próxima!

Você também pode gostar destes artigos:

Artigos Relacionados

Mais populares