InícioGestão de DespesasO que é e como funciona o capital de giro para empresas

O que é e como funciona o capital de giro para empresas

O capital de giro é o valor financeiro que mantém as operações da empresa em pleno funcionamento, e envolve equilibrar os fluxos de entrada e saída de caixa, garantindo continuidade das atividades e a lucratividade do negócio.

Neste artigo, exploraremos a importância do capital de giro, explicando um pouquinho mais sobre o que é e como funciona. Além disso, explicaremos como sua gestão adequada pode impactar diretamente nos resultados financeiros e na sustentabilidade das operações.

Vamos falar sobre:

  • O que é o capital de giro?
  • Diferença entre capital de giro e fluxo de caixa
  • Tipos de capital de giro
  • Como calcular o capital de giro
  • Como administrar o capital de giro
  • Como saber se você precisa de capital de giro
  • Quais são as alternativas de crédito para adquirir o capital de giro

Boa leitura!

O que é o capital de giro?

O capital de giro é um conceito financeiro essencial para empresas de todos os setores ou tamanhos. Como o nome sugere, é o dinheiro necessário para fazer a empresa “girar”, ou seja, rodar em pleno funcionamento.

Em termos simples, ele se refere ao valor financeiro necessário para manter as operações diárias. Esse capital é utilizado para pagar fornecedores, salários, despesas de manutenção, combustível e outras obrigações financeiras relacionadas às atividades operacionais da empresa.

Uma das principais características do capital de giro é a sua natureza cíclica. As empresas frequentemente enfrentam um descompasso entre o momento em que precisam pagar suas obrigações e o momento em que recebem pagamentos de seus clientes.

Esse desequilíbrio pode criar dificuldades financeiras se não houver uma gestão adequada do capital de giro. Ao entender e monitorar o capital de giro, as empresas podem tomar decisões de forma mais assertiva, sem comprometer a rentabilidade ou a sustentabilidade do negócio. 

Isso inclui estratégias de financiamento, prazos de pagamento a fornecedores, políticas de crédito aos clientes e até mesmo a necessidade de buscar fontes adicionais de capital. 

Diferença entre capital de giro e fluxo de caixa

Compreender a diferença entre os conceitos de capital de giro e fluxo de caixa é importante para uma gestão sólida e sustentável do negócio.

O fluxo de caixa refere-se à movimentação financeira, representando as entradas e saídas de dinheiro em um negócio. Ele acompanha de perto as transações diárias, mostrando a liquidez da empresa em determinado período.

O fluxo de caixa é essencial para acompanhar as receitas e despesas, permitindo uma visão detalhada da situação financeira em tempo real.

Por outro lado, o capital de giro diz respeito aos recursos disponíveis para sustentar o pagamento dos custos operacionais da empresa.

Engloba valores necessários para honrar compromissos como salários, fornecedores, manutenção e demais despesas operacionais. O capital de giro é uma reserva financeira estratégica, que deve ser suficiente para garantir a continuidade das operações mesmo diante de flutuações do fluxo de caixa.

Enquanto o fluxo de caixa fornece informações sobre a movimentação de recursos, o capital de giro representa a reserva financeira disponível para enfrentar desafios e manter as operações sem interrupções. 

Tipos de capital de giro

Quando se trata do giro de um negócio, é importante destacar que existem diferentes tipos de capital de giro, cada um atendendo a necessidades específicas. Aqui, vamos explicar um pouco sobre essas modalidades.

Capital de giro negativo

Nessa situação, sai mais dinheiro do que entra, ou seja, a empresa gasta mais do que recebe. Embora possa parecer um cenário desfavorável, é comum para empresas em crescimento, que demandam investimentos e custos adicionais durante a expansão. 

É uma fase em que os gastos superam temporariamente as receitas, e medidas estratégicas são necessárias para equilibrar a situação.

Capital de giro positivo

Nesse caso, é o contrário: a empresa gasta menos do que recebe. É um indicativo de que a operação está sendo financiada adequadamente pelas receitas geradas. 

Pode ser um sinal de consistência nos resultados, seja em um cenário de crescimento sustentável ou de estabilidade.

Capital de giro líquido

Aqui, estamos considerando o montante de recursos disponíveis, excluindo os ativos não circulantes. Isso significa que imóveis e outros bens que não podem ser convertidos em dinheiro no curto prazo não são considerados nessa análise.

O foco está nos recursos prontamente disponíveis para sustentar as operações diárias.

Investimento em capital de giro

Esse tipo de capital é destinado a cobrir encargos que surgem após um investimento específico, como a troca ou melhoria de maquinário.

É fundamental equilibrar esse tipo de capital para garantir que haja recursos suficientes em caixa para lidar com outras despesas operacionais após realizar o investimento planejado.

Como calcular o capital de giro

como calcular o capital de giro para pequenas empresas

Bom, se chegamos até aqui, foi possível compreender que o capital de giro representa o valor total dos ativos circulantes necessários para a continuidade das operações da empresa.

No entanto, para calcular o capital de giro líquido, é necessário subtrair o ativo circulante (AC) pelo passivo circulante (PC). Esse cálculo é essencial para determinar o montante financeiro disponível da empresa nos meses seguintes, excluindo os recursos já alocados para as despesas do mês atual.

Assim, a fórmula para o cálculo do capital de giro líquido é:

  • Capital de Giro Líquido (CGL) = Ativo Circulante (AC) – Passivo Circulante (PC).

Mas: qual o significado dessas siglas e suas respectivas definições para uma análise mais aprofundada?

  1. Passivo Circulante (PC): refere-se às obrigações financeiras de curto prazo que uma empresa possui e que são esperadas para serem liquidadas dentro de um período de um ano ou durante o ciclo operacional da empresa, o que for maior. Alguns exemplos são: contas a pagar, parcelas de empréstimos de curto prazo, obrigações trabalhistas e tributárias, entre outros;
  2. Ativo circulante (AC): são os recursos do negócio que podem ser prontamente convertidos em dinheiro, seja dentro de um ano ou do ciclo operacional normal da empresa, o que for mais longo. Alguns exemplos são: estoque, contas a receber, títulos negociáveis, despesas pré-pagas, etc.

Como administrar o capital de giro

Para assegurar a saúde do capital de giro, é fundamental estabelecer uma rotina de gestão financeira que inclua o monitoramento regular do fluxo de caixa e a identificação de oportunidades de redução de custos. 

Além disso, é importante pensar em soluções que ajudem a gerenciar os recursos, como um bom sistema de gestão financeira.

Mantenha um bom controle financeiro

É importante realizar uma análise minuciosa dos indicadores financeiros e elaborar um planejamento financeiro que inclua detalhes, levando em consideração os períodos de sazonalidade do negócio.

Nos meses em que as vendas costumam diminuir, é fundamental adotar medidas de contenção de gastos e implementar estratégias de marketing e vendas para preservar o capital de giro. 

Negocie com fornecedores

Revise regularmente os contratos com fornecedores, buscando oportunidades de negociar melhores preços e condições de pagamento. É possível negociar prazos mais favoráveis ou até mesmo obter descontos para pagamentos à vista, desde que o capital de giro da empresa permita.

Além disso, é importante ter um olhar atento para o histórico de vendas de cada produto, para que se possa planejar as reposições de estoque de forma eficiente. Alguns fornecedores oferecem benefícios para compras em grandes volumes, mas é necessário avaliar se essa quantidade é condizente com sua demanda. 

Ao adotar essas práticas, você estará maximizando o aproveitamento do seu capital de giro, obtendo melhores condições de compra e garantindo a disponibilidade de estoque necessária.

Considere a antecipação de recebíveis

Se você busca expandir o seu negócio e deseja otimizar o seu capital de giro, mesmo com um planejamento financeiro cuidadoso, uma alternativa é recorrer à antecipação de recebíveis. 

Essa modalidade de operação de crédito permite que você antecipe o recebimento do valor de serviços prestados. Ao optar pela antecipação, você transforma as suas vendas a prazo em recursos imediatos e líquidos, através do pagamento de uma taxa que varia de acordo com cada caso. 

Essa estratégia oferece a vantagem de contar com capital disponível de forma ágil, possibilitando a reinvestir no próprio negócio, seja por meio de ações de marketing mais agressivas ou em outras iniciativas que visem impulsionar o crescimento da empresa.

Mas, cuidado: se você antecipar regularmente, pode acabar perdendo margem de lucro, uma vez que essa estratégia apresenta custo.

Identifique e corte gastos

Quando você mantém um controle financeiro adequado dos custos e despesas, fica mais fácil identificar oportunidades de redução, seja renegociando valores, seja estabelecendo premissas ou regras de uso do dinheiro que eliminem fraudes, por exemplo.

Leia também: Diferença entre custo e despesa: descubra agora!

Faça um empréstimo

Caso a sua empresa esteja enfrentando dificuldades financeiras e necessite quitar dívidas, recorrer a um empréstimo pode ser uma opção viável. Mas, é crucial que haja um planejamento orçamentário cuidadoso antes de tomar essa decisão. 

É fundamental analisar se a empresa possui garantias futuras para garantir a quitação do empréstimo. Colocar todos os gastos na ponta do lápis e fazer uma provisão de pagamentos pode trazer mais visibilidade sobre o cenário do negócio e os compromissos financeiros que a empresa é capaz de assumir.

Como saber se você precisa de capital de giro

Pensando em uma empresa que oferece serviços ou produtos, é comum que haja variações na demanda ao longo do ano. Em determinados períodos, a procura pode ser alta devido a eventos sazonais, promoções ou outros fatores. Por outro lado, em outros momentos, a demanda pode diminuir, afetando o fluxo de caixa da empresa.

Nesse contexto, o capital de giro desempenha um papel crucial na gestão financeira. Ao possuir um capital de giro adequado, a empresa consegue lidar com os períodos de menor demanda, garantindo recursos financeiros suficientes para cobrir despesas fixas, como pagamento de salários, aluguel, fornecedores e manutenção de equipamentos.

Além disso, contar com um capital de giro sólido permite que a empresa esteja preparada para enfrentar imprevistos, como avarias em equipamentos, necessidade de reposição de estoque ou flutuações nos preços de matérias-primas.

Ter uma reserva financeira adequada ajuda a manter a continuidade das operações e a evitar problemas financeiros em momentos de incerteza.

Portanto, o capital de giro é fundamental para garantir a estabilidade financeira de qualquer empresa, permitindo que ela se adapte às flutuações da demanda. Então sim: definitivamente, você precisa garantir um bom capital de giro.

Quais são as alternativas de crédito para adquirir o capital de giro

Adquirir o capital de giro necessário que a sua empresa precisa é um processo que pode ser feito por meio de diversas estratégias.

Uma opção é utilizar recursos próprios, como reservas financeiras da empresa ou investimentos dos sócios. Essa abordagem evita a dependência de terceiros e mantém o controle financeiro interno.

Outra alternativa é buscar financiamento junto a instituições financeiras, como bancos ou cooperativas de crédito. Aqui deve-se apresentar um plano de negócios e demonstrar a viabilidade do empreendimento, incluindo projeções de demanda, fluxo de caixa e capacidade de pagamento. 

O financiamento pode ser obtido por meio de empréstimos, linhas de crédito específicas para capital de giro ou até mesmo leasing de veículos.

Uma terceira opção é buscar parcerias estratégicas com fornecedores ou investidores. É possível estabelecer acordos para obter prazos de pagamento mais favoráveis. 

Conclusão

A identificação e o corte de gastos desnecessários ou excessivos são fundamentais para otimizar o capital de giro da empresa.

Ao adotar uma abordagem estratégica, revisar os custos em diferentes áreas e implementar medidas eficientes de redução de despesas, é possível impulsionar a saúde financeira do negócio e aumentar a sua competitividade no mercado.

Com um bom planejamento do capital de giro, a empresa pode se preparar para os períodos de menor movimento, assegurando recursos suficientes para cobrir despesas operacionais, como aluguel de escritório, salários dos funcionários e pagamento de fornecedores.

Para permitir que a empresa tenha um bom capital de giro, o controle financeiro é essencial. Centralizar os pagamentos em um único sistema, por exemplo, permite que o empresário acompanhe de perto os custos do negócio, mitigando despesas desnecessárias e reduzindo custos.

Conheça o Edenred Empresarial, a solução para organização de despesas do grupo Edenred.

Continue navegando pelos nossos conteúdos:

Artigos Relacionados

Mais populares